Apps de treinos e exercícios: entenda por que podem ser perigosos

app de treino

Apps de treinos e exercícios: entenda por que podem ser perigosos

Com o avanço da tecnologia, as pessoas estão tendo a oportunidade de obter inúmeras informações na palma da mão, por meio de aplicativos para celulares. Eles podem ajudar no dia a dia, em muitas atividades. Contudo, os apps de treino podem ser perigosos.

As opções são muitas e eles apresentam dicas de como treinar, ensinam a realizar exercícios e trazem o treino pronto. Basta dar o play e começar a se exercitar. A proposta parece simples e fácil, não é mesmo? E não é para menos: vários deles divulgam seus serviços como sendo personalizados, o que, na maioria dos casos, não acontece, de fato.

Assim, essa nova forma de praticar atividade física pode ser extremamente prejudicial à sua saúde. Por isso, se você usa algum app de treino, precisa conhecer todos os riscos de malhar dessa forma. Então, para te ajudar nisso, criamos este post, em que mostraremos por que optar por treinar usando apps não é a melhor ideia.

Quer descobrir os motivos? Então, é só continuar lendo!

Os perigos oferecidos por um app de treino

Exercícios inadequados

Muitos aplicativos determinam exercícios específicos para cada objetivo que uma pessoa possa ter. Alguns exemplos são treinos para quem deseja:

  • perder massa magra;
  • melhorar o condicionamento físico;
  • ganhar força muscular;
  • adquirir agilidade, velocidade, etc.

Entretanto, apesar de haver essa diferenciação entre os treinos, a possibilidade de ele ser inadequado para quem o pratica é alta. Isso acontece porque um dos princípios do treinamento é a individualidade biológica, ou seja, nenhum indivíduo é igual ao outro.

Dessa maneira, cada ser humano responde de uma maneira diferente ao treino e necessita de estímulos diversos. Portanto, não é possível definir o melhor treino para todas as pessoas, genericamente, como a maior parte dos aplicativos faz. Somente é possível perceber isso com a prática das aulas e a observação das respostas do aluno, ao vivo.

Condicionamento físico

O condicionamento físico também é outro fator perigoso, que pode influenciar na qualidade do treinamento. Cada pessoa tem o seu próprio condicionamento que, inclusive, pode variar conforme as fases da vida de cada um. Ao elaborar um treino pronto para um aplicativo fitness, não é possível saber como é o condicionamento de cada usuário. Então, provavelmente, é estabelecida uma intensidade genérica.

Nesse cenário, duas coisas podem acontecer: o seu treino pode ficar em uma intensidade muito fácil ou muito difícil. Ambas as possibilidades são prejudiciais ao treinamento. O ideal é que a carga planejada para o exercício corresponda ao condicionamento físico de quem vai realizá-lo, e que estimule essa pessoa a buscar sempre uma melhor performance.

Mais uma vez, para conseguir atingir esse objetivo, é necessário que o treinador esteja presente durante as sessões de treinamento. Observar como a pessoa se movimenta, o tempo em cada exercício, o grau de dificuldade e de cansaço após cada sessão, entre outros fatores, são extremamente necessários para encontrar a dose certa.

Má execução dos exercícios

Para que o instrutor possa montar uma ficha de exercícios adequada para cada pessoa e passe as orientações corretas sobre como executar os movimentos, é parte da função desse profissional estudar a sua avaliação física, antes de iniciar as atividades. Assim, ele poderá saber quais são os objetivos específicos e se certificar, por exemplo, se a pessoa tem algum histórico de lesão, adaptando o exercício às condições físicas atuais do aluno.

Alguns dos principais motivos para a execução incorreta na hora do treino podem ir, desde a falta de conhecimento mais aprofundado sobre determinado exercício, até a uma consciência corporal que, às vezes, precisa, ainda, ser mais desenvolvida. Afinal, é muito comum termos a impressão de que estamos fazendo os movimentos corretamente — o que pode não corresponder, exatamente, à realidade. Assim, fica nítida a importância de um acompanhamento, de perto, por esse profissional.

Ele vai instruí-lo quanto a correções necessárias, nesse sentido, evitando que o aluno se dedique arduamente, sem obter os resultados esperados, devido à má execução dos exercícios. Já com um app de treino, não há essa possibilidade de ajuste. Afinal, não há ninguém ali, de fato, para auxiliá-lo. Assim, você continuará, talvez, por um bom tempo, fazendo o treino de maneira incorreta, o que poderá diminuir o seu desempenho e expor a danos físicos — o que vamos ver no próximo tópico.

Riscos de lesões

As lesões estão entre os fatores de risco mais preocupantes para quem opta por utilizar a tecnologia e treinar sozinho. Grande parte das pessoas acredita que isso só acontece com quem utiliza uma carga alta de peso. No entanto, essa ideia é errada. Até mesmo alguém que se exercita somente com o peso do próprio corpo está suscetível à lesão.

Assim, o acompanhamento profissional faz com que os resultados sejam alcançados de maneira otimizada e evita que a pessoa se machuque, proporcionando também uma prática muito mais confortável para o aluno. Afinal, o corpo humano é formado por inúmeras articulações, musculaturas e ossos. Um detalhe de posicionamento ou de execução do exercício pode levar a uma sobrecarga indevida em alguma região e, consequentemente, ocasionar as temidas lesões.

E, como sabemos, para quem treina, não há nada pior do que se lesionar. Isso porque a recuperação ideal, normalmente, não é rápida. E, quando uma pessoa que está treinando necessita parar, por algum motivo, ao retornar, ela precisará regredir no volume e na intensidade, demorando um tempo maior para chegar ao nível em que estava, quando parou.

Problemas posturais

Os problemas posturais adquiridos, por conta de um treino feito de forma errada, podem ser muito prejudiciais à saúde — afetando rotinas diárias e diminuindo a qualidade de vida. Um dos principais riscos relacionados a essa questão é o vício de postura. Muitas vezes, as pessoas não têm consciência corporal e acreditam que estejam realizando um movimento de forma correta, o que cria um hábito postural.

Essa forma de se movimentar se torna automática e, depois que alguém assimila um movimento, é muito mais difícil e trabalhoso para corrigi-lo. O ideal é que um professor acompanhe a atividade física, desde o primeiro dia, corrigindo, aos poucos, cada movimento e aprimorando a técnica, progressivamente. Assim, torna-se mais difícil adquirir um vício de postura.

Periodização incorreta

Há outro fator de risco em usar apps de treino: a falta de uma periodização acompanhada por um profissional capacitado. A periodização é uma maneira de organizar o treinamento em curto, médio e longo prazo. Por meio dela, é possível variar a carga, o volume e a intensidade do treino, de acordo com os objetivos de cada aluno e do seu desempenho.

Apesar da importância desse conceito, ele não consegue ser realizado de maneira efetiva, por meio de um aplicativo com treinos prontos, pois as suas variáveis devem ser alteradas conforme o treino vai progredindo. Somente um instrutor conseguirá avaliar os avanços conquistados pelo pelo praticante e, assim, planejar os próximos passos na evolução do treino, com o objetivo de realizar uma periodização correta.

Erros e bugs do sistema

Ao lidar com recursos tecnológicos, corremos sempre o risco de que eles falhem, de alguma maneira — não seria diferente com os apps de treinos. Por se tratarem de softwares, eles são passíveis de erros e bugs, o que pode atrapalhar os seus treinos. Existem duas situações mais comuns de ocorrerem com esses apps. A primeira é quando, por algum erro do sistema, não é possível acessá-lo — e isso pode ocorrer bem no momento em que você está preparado para iniciar as atividades.

Outra situação que pode ocorrer, e que sujeita o aluno a vários danos, são os bugs com relação às informações ali transmitidas. Ou seja, imagine que o sistema tenha a função de calcular, por exemplo, a IMC do aluno, para, com base nisso, traçar o plano de exercícios. Caso haja uma falha no código que faz esse cálculo, o app pode passar uma lista de exercícios totalmente incoerente com as necessidades do praticante.

Então, é importante lembrar que todas as ferramentas que trabalham com sistemas, muitas vezes, podem apresentar erros que prejudicam o treino e sua evolução. Isso não aconteceria em uma academia, onde os professores estão sempre presentes fisicamente para orientar os alunos.

Falta de motivação

A falta de motivação talvez não precise ser classificada como um fato perigoso. No entanto, ela é crucial para aqueles que desejam ver resultados realmente expressivos nos treinamentos. Afinal, sabemos que praticar atividades físicas sozinho não é uma tarefa fácil e, em grande parte das vezes, a pessoa acaba se desmotivando no meio do caminho, optando por deixar o exercício de lado.

Nesse sentido, o incentivo de um profissional é muito importante, para que o aluno tenha uma continuidade na prática e consiga, assim, conquistar todos os objetivos que deseja. Já, por meio de um aplicativo de treinamento, não é possível ter esse estímulo direto, sendo esse mais um dos motivos para deixar de lado a tecnologia e procurar um professor para auxiliar na rotina e na motivação para a prática.

Assim, mesmo que uma pessoa siga à risca o planejamento do app de treino, a falta da orientação de um especialista no assunto pode mais prejudicar do que ajudar. Por isso, depois de mostrar alguns riscos de se exercitar por meio de atividades definidas por um aplicativo, queremos reforçar o quanto é importante contar com a ajuda de um profissional de Educação Física — seja ele um professor particular ou alguém que trabalhe em uma academia.

Privação de convívio social

Aproveitando o tópico anterior, além de ser comum nos sentirmos mais estimulados à prática de exercícios numa academia, esse ambiente também nos proporciona outras experiências positivas. Uma delas é o contato com outras pessoas que têm os mesmos interesses e motivações, com relação às questões físicas, por exemplo. Assim, ao estar nesse círculo de convívio, você poderá receber e dar apoio, nesse sentido, beneficiando mente e corpo. Afinal, um bom papo após o treino pode tornar a sua ida à academia um momento ainda mais agradável — o que não há como acontecer fazendo exercícios em casa, por meio de um app.

Como vimos, não importa em que lugar você faça o seu treino. O certo é que, com a presença do profissional capacitado, o seu treino tende a render muito mais e trazer resultados mais positivos, do que quando se usa um app de treino.

E então, gostou do post? Agora que você entendeu que o app de treino não é interessante para a sua saúde, que tal investir em um treinamento sério? Entre em contato com a Oxigênio Academia e invista na sua saúde, de forma inteligente!

e-book emagrecimento

Post Recentes

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOVIDADES

Tudo sobre os mais diversos temas sobre treinamentos, modalidades e dicas.

Share via
Copy link