Diástase na gravidez: o que provoca e como tratar?

diástase

Diástase na gravidez: o que provoca e como tratar?

Você é do tipo que vai direitinho à academia, capricha na dieta e faz atividades físicas constantemente, mas ainda assim continua com a barriga “estufada”? E, além disso, já passou por uma ou mais gestações? Se a resposta para essas duas perguntas foram sim, pode ser que você tenha diástase.

A diástase na gravidez é um problema relativamente comum, mas infelizmente, pouco conhecido. O seu principal “sintoma” é a projeção abdominal para a frente, fazendo com que o abdômen fique constantemente com a aparência de estufado.

Que tal conhecer mais esse problema e saber como resolvê-lo? Pensando nisso, preparamos um conteúdo especial para ajudá-la a entender melhor sobre esse assunto e tirar as suas dúvidas. Boa leitura!

O que é a diástase na gravidez?

O nome “completo” da diástase é Diástase dos Músculos Retos Abdominais. Sendo assim, temos a noção de que esse problema está relacionado com os músculos do abdômen, que se tornam enfraquecidos e afastados.

Imagine que os músculos abdominais estão todos juntinhos, fortemente ligados para manter a nossa barriga “no lugar”. A diástase acontece quando eles não conseguem mais ficar aderidos e se afastam, fazendo com que ela se projete para a frente.

Quais são as suas causas?

A principal causa da diástase na gravidez está relacionada ao aumento do tamanho do útero durante a gestação. Essa mudança pode fazer com que os músculos se afastem.

No entanto, isso não é tudo. O parto normal também é uma possível causa, graças à força aplicada para a expulsão do bebê. Mas nada de alarme, ok? Esse tipo de nascimento continua sendo super recomendado e muito saudável tanto para a mamãe, quanto para o bebê.

Quais são os sinais da diástase abdominal?

Confira, agora, alguns dos sinais mais comumente observados na diástase:

  • estufamento abdominal constante;
  • gases em excesso;
  • digestão dificultada;
  • mal-estar estomacal;
  • refluxo;
  • dores nas costas;
  • dores durante a relação sexual;
  • escape de urina, graças ao enfraquecimento dos músculos pélvicos, entre outros.

Nem todas as pessoas vão apresentar todos esses sintomas. Mas fique de olho caso tenha algum deles!

Como prevenir a diástase durante a gestação?

A melhor maneira de evitar a diástase durante a gravidez é a prática de exercícios. Eles podem ser de baixo impacto, como natação e pilates, ou até mesmo mais específicos, como a musculação.

É claro que antes de se engajar em qualquer tipo de atividade, a gestante precisa passar por uma boa avaliação profissional. Esta deve envolver médicos, fisioterapeutas e educadores físicos, a fim de que a melhor estratégia para cada caso seja estabelecida.

Como tratar a diástase já estabelecida?

Agora, confira algumas dicas de como é feito o tratamento da diástase gestacional. De modo geral, a abordagem pode ser de dois tipos: fisioterapêutica ou cirúrgica.

A maioria dos casos é tratada com o suporte da Fisioterapia. O profissional prescreverá alguns exercícios, que podem tranquilamente ser feitos em uma academia bem equipada e com o suporte de bons educadores físicos.

Nos casos cirúrgicos, que são bem menos comuns, a musculatura é restabelecida a partir de costuras. Ela é feita por laparoscopia, ou seja, não há a necessidade de grandes cortes e, tampouco, grandes cicatrizes.

Gostou de tirar algumas das suas principais dúvidas sobre a diástase na gravidez? Esperamos que sim! Agora, é hora de buscar apoio profissional para lidar com esse problema e voltar a ter músculos fortes na região abdominal.

Ficou com alguma dúvida extra ou tem uma história sobre diástase para compartilhar? Então, conta para a gente nos comentários logo abaixo!

e-book emagrecimento

Post Recentes

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOVIDADES

Tudo sobre os mais diversos temas sobre treinamentos, modalidades e dicas.

Share via
Copy link